Fred Santos fala do novo desafio em assumir o comando técnico do Sub-16 e Sub-17 do Flamengo

Todos os detalhes de uma equipe vencedora do basquete são divididos em processos seja na lapidação dos fundamentos dos atletas na parte técnica e tática. O Flamengo nos últimos anos demonstrou uma preocupação com essa parte e buscou uma pessoa para dar todo esse suporte seja aos jogadores da base e até para os profissionais. Fred Santos, ex-jogador do clube passou a ter essa função de ajudar na evolução dos fundamentos dos jogadores e recentemente ganhou uma nova função dentro do clube como mérito de todo o seu processo de dedicação a modalidade. O Garrafão Rubro-Negro conversou com Fred Santos que passou a ser o novo técnico da base do Flamengo na categoria Sub-16 e Sub-17.

Fred Santos – técnico de habilidades e da categoria Sub-16 e Sub-17 do Flamengo

Primeiramente, Fred como você vê a importância do seu trabalho como treinador de fundamentos na evolução e aprimoramento técnico dos jogadores da categoria adulta do basquete do Flamengo? Muitos jogadores dessa atual temporada fazem questão de reconhecer essa sua ajuda nessa evolução, como é pra você ter esse reconhecimento?

“Primeiramente respondendo à questão do trabalho técnico, dos fundamentos, das habilidades, é muito importante para todos os atletas da base e até para os atletas do profissional que devem seguir se aprimorando, se aperfeiçoando e se tornando mais versáteis por causa da mudança do jogo, ele vem mudando e o nível fica cada dia maior. E esses atletas constantemente tem que buscar melhorar. Nos Estados Unidos esse trabalho já vem sendo realizado há muito tempo. O Flamengo alavancou teoricamente essa função dentro do basquete nacional e me chamou para fazer esse tipo de trabalho. Eu fico feliz com o reconhecimento dos atletas, isso é muito importante. O mais legal pra mim é ver que eles estão conseguindo de fato evoluir, ter algum ganho em quadra e ver que que mesmo esses atletas que são profissionais estou conseguindo que eles sejam melhores. E tenho que reconhecer todos os atletas que trabalham comigo, e são todos mesmos, até aqueles jogadores que tem sua carreira consolidada, são renomados, e eles tem a humildade de me procurarem quando precisam ou quando vejo que eles podem evoluir em determinado ponto, eles se mostram bem receptivos. Muito legal ter esse reconhecimento dos jogadores, mas também é muito mérito também deles, quererem evoluir e acreditarem em todo o processo.”

E recentemente foi confirmada uma grande novidade profissional pra você que é ser treinador da categoria Sub-16 e Sub-17 do Flamengo. Como você ve esse desafio? E quem você gostaria de agradecer nesse momento a confiança de escolher você pra essa função?

“Estou muito feliz com a nova função. Com certeza é um grande desafio. Agora além de ajudar todo os atletas evoluírem tecnicamente, agora terei o papel de passar também as questões táticas. A categoria Sub-16 e Sub-17 já possuem uma carga tática considerável. A parte técnica e tática estão entrelaçadas como a parte física também. Então é um desafio, me sinto pronto, preparado e disposto a ajudar todos esses garotos a melhorarem e que juntos possamos conseguir atingir os objetivos que são os títulos. Queria agradecer a diretoria do Flamengo e a todos que confiam no meu trabalho. Eles que já confiavam e agora me deram mais essa nova oportunidade em outra função. Gostaria de agradecer em especial ao Diego Jeleilate que conversou comigo lá no começo e me deu essa oportunidade. Gostaria também de agradecer ao Marcelo Vido que é um profissional que está próximo e eu também já conhecia.  Queria agradecer também ao Guilherme Kroll que também está bem próximo e confia no meu trabalho. Essas são as três pessoas que estão mais próximas de mim.”

Na final do Mundial você teve a oportunidade de entrar para a história e ser um dos comentaristas da transmissão oficial do clube. Você que tem uma história vitoriosa dentro do Flamengo como jogador como é ver o basquete do clube a cada temporada chegando a patamares maiores? Você diria que os resultados de hoje são fruto da continuidade de um trabalho que começou com você e outros jogadores lá atrás?

“Me sinto privilegiado em ter participado da transmissão da FLA TV nos jogos do Mundial. Realmente foi uma honra estar ali com todo mundo. Foi muito legal, muito prazeroso, inesquecível para mim. E sobre o que vem ocorrendo agora é incrível como o Flamengo não para de subir no seu patamar, cada vez ficando mais profissional, com objetivos maiores, isso com certeza é fruto de um processo que começou lá atrás com o primeiro título que a gente conquistou. Eu ainda estava como jogador em 2008 e nem era NBB ainda, era CBB. Depois teve o primeiro NBB e a conquista da Liga Sul-Americana. Esses títulos acabaram por dar confiança ao clube em investir cada vez mais, viu o retorno que o basquete dava e passamos a ganhar cada vez mais a confiança da torcida e tudo isso que vem ocorrendo agora não aconteceria sem esses títulos que foram conquistados lá atrás.”

Pra encerrar, sabemos que a base acima de tudo nas categorias menores o objetivo inicial e á formação de fundamentos e consequentemente a formação de valores pessoais de cada jovem. Mas falando um pouco do potencial que você já enxerga, o que os torcedores do Flamengo podem esperar da categoria Sub-16 e Sub-17 nessa temporada?

“ Com certeza quando se pensa em base é a formação de atletas. Eu tenho muito isso comigo, pois vivi isso muito dentro da base. Muitas das vezes você não tem isso de ser preparado para o que vem lá na frente e isso é primordial.  E isso eu não vejo de outra forma, vou trabalhar dessa forma. E sei que estamos no Flamengo e é um clube que exige resultados. E sei que a minha categoria já é uma delas que já se busca esses resultados diretamente. E a minha missão é saber conciliar essa formação pessoal com essa formação de atleta com conquistas de títulos. Esse é o grande desafio. Os torcedores do Flamengo podem esperar uma categoria com atletas muito aguerridos, buscando jogar em velocidade, um basquete mais moderno possível, defesa forte, um jogo muito coletivo. E esse basquete que estou observando em todo o período que estive no basquete adulto, a influencia do Gustavo e do Fernando, essa influência muito positiva de um basquete muito moderno e de muita intensidade. Isso é muito nítido a maneira que o Flamengo joga. A nossa ideia que essa categoria taticamente esteja chegando mais próxima do que vem sendo praticado na categoria adulta. Mesmo sabendo que são atletas ainda em formação.”

Fred no comando da base do basquete do Flamengo.

O Garrafão Rubro-negro precisa da sua assinatura para continuarmos a nossa cobertura do orgulho da nação. Faça sua assinatura a partir de 10 reais por mês. Conteúdos exclusivos e sorteio de camisas oficiais, casuais e par de ingressos durante a temporada.
Apoia-se – apoia.se/garrafaorn
Pic Pay – @GarrafaoRN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.