Olhar argentino – Brandon Robinson e Dar Tucker

Toda temporada é natural e normal que o Flamengo acabe contratando estrangeiros de qualidade para integrarem seu plantel no objetivo de buscarem a manutenção da sua hegemonia nacional e internacional. Nessa nova temporada, o clube da Gávea fez um investimento alto e conseguiu reunir os dois norte-americanos de maior impacto na Liga Argentina nos últimos anos.

O Garrafão Rubro-Negro buscando uma análise mais fiel e verdadeira sobre o rendimento e a importância dos dois no retrospecto recente na Argentina apresenta agora uma matéria especial com o depoimento de jornalistas argentinos que acompanharam bem de perto o desempenho de Brandon Robinson e Dar Tucker no Quimsa e San Lorenzo respectivamente.

Jornalistas argentinos

Alejandro Perez

  • Quais seriam as principais qualidades técnicas e diferenças no estilo de jogo do Brandon Robinson e Dar Tucker?

Dar Tucker é um jogador que precisa mais da bola, pois ele desequilibra muito no um contra um, por ser um grande jogador nas infiltrações, com muito poder, apesar de não ser muito alto. Brandon Robinson não precisa tanto da bola, como ele pode ser um definidor que termina as jogadas. Além disso, é um atirador mais confiável.

  • E qual foi o impacto que os dois tiveram dentro da Liga Argentina nos últimos anos quando defenderam o Quimsa e o San Lorenzo respectivamente?

Dar Tucker está mais presente, porque passou mais tempo na Liga Nacional e com bons resultados individuais, em Estudiantes de Concórdia, e coletivo, em San Lorenzo. Em uma Liga Nacional que claramente baixou seu nível nos últimos anos, Tucker, com exceção da última temporada, sempre foi um ponto importante, um homem excepcional, que mostrou personalidade para momentos decisivos. Brandon Robinson teve menos tempo na Liga Argentina, mas ele trouxe qualidade para a competição, como eu mencionei, em um momento em que não havia muitos jogadores de muita qualidade.

Leo Margo

  • Quais seriam as principais qualidades técnicas e diferenças no estilo de jogo do Brandon Robinson e Dar Tucker?

No caso de Dar Tucker, se ele está a 100% de sua condição física, estamos falando de um jogador ultra-decisivo que gera muitos pontos e espaços de um contra um. Nós o vimos definir jogadas com a sua explosividade, como também nos seus arremessos certeiros. O grande problema na última temporada tem sido suas lesões por não estarem fisicamente em forma em nenhum momento.

Quanto a Brandon Robinson, o agora ex-Quimsa, não precisa de sistemas para marcar. Enquanto ele leva vantagem quando o time joga para ele, suas sequências de pontuação em certos pontos do game show nele que ele pode não estar tendo sua melhor noite que não vai importar, porque ele volta para o jogo e define-o em um par de minutos.

São dois jogadores diferentes, que poderiam coexistir no ataque, mas talvez seu lado defensivo não seja um de seus pontos altos. Além disso, estamos falando de dois dos estrangeiros mais decisivos dos últimos anos da Liga Nacional.

  • E qual foi o impacto que os dois tiveram dentro da Liga Argentina nos últimos anos quando defenderam o Quimsa e o San Lorenzo respectivamente?

O impacto foi imenso! Tucker foi fundamental em sua primeira equipe, Estudiantes de Concordia, mas a chegada a um super time como o San Lorenzo nos anos em que o jordaniano estava lá certamente impulsionou tudo de bom nele. Tucker ganhou 2 Ligas das Américas e 3 ligas nacionais sendo uma das figuras dominantes do jogo. Ele também teve prêmios individuais como MVP de uma dessas competições, ou melhor estrangeiro.

Brandon Robinson é diferente, pois jogou menos tempo no Quimsa, mas ainda foi fundamental na vitória contra o Flamengo na Antel Arena para obter o primeiro BCLA da história, depois de não ter tido seu melhor jogo nas semifinais contra o San Lorenzo.

Não há dúvida de que a chegada tanto ao Flamengo classificará o elenco e o NBB, além de ser uma lacuna difícil de preencher para a Liga Argentina.

Santiago Ortega

  • Quais seriam as principais qualidades técnicas e diferenças no estilo de jogo do Brandon Robinson e Dar Tucker?

Quando Gabriel Deck já tinha deixado de ser um garoto na Liga Nacional e foi para o Velho Continente para continuar crescendo, Dar Tucker começou uma nova etapa em San Lorenzo, que de repente se tornou “dependente de Tucker” porque Dar deu ao “Ciclone” o que ele não tinha mais com a partida do Deck.E o clube de Boedo gostou muito: sendo MVP da fase regular, mas também das finais e, acima de tudo, uma importante arma ofensiva para a colheita de diferentes títulos. Mas então veio a pandemia e nada aconteceu novamente como antes.

O jordaniano nacionalizado americano era uma sombra do que ele era e não deu ao Santander e a todo elenco o que se esperava dele, por várias razões (problemas familiares, arrastou um prejuízo, problemas econômicos, etc). Inclusive, a equipe levantou sua quinta taça consecutiva na Argentina e Dar nem sequer fez parte das comemorações.Mas é hora de uma revanche para Tucker, que aos 33 anos terá que ganhar a confiança de todos novamente e desembarcar em um Flamengo multicampeão, que tentará continuar reinando no Brasil e no continente.

Depois de dominar a liga chilena e deixar sua marca na Liga das Américas de 2019 (levando o Las Animas a ficar entre os 8 melhores do continente), Brandon Robinson teve breves passagens pela China (atingindo um recorde pessoal de 70 pontos) e no México (onde não foi tão bem), mas em Quimsa ele foi o jogador decisivo que já havia provado ser. 

Muitas vezes, ao longo da última temporada, o próprio capitão da equipe de Santiago, Mauro Cosolito, destacou que o americano era o “jogador diferente” da equipe. E Brandon acabou sendo o Jogador Mais Valioso, o MVP, não mais e nada menos do que na primeira edição da Champions League Américas apenas contra o “Fla”, seu novo time.

E em cada momento decisivo, é quando Brandon gosta mais de aparecer: artilheiro da Copa Intercontinental FIBA de 2021 e média de 17,1 pontos nos playoffs da Liga, mesmo que eles terminaram em derrotas para a “Fusion”.

Noelia Ortmann

  • Quais seriam as principais qualidades técnicas e diferenças no estilo de jogo do Brandon Robinson e Dar Tucker?

Dar Tucker foi um dos jogadores mais influentes da Liga Nacional na Argentina nos últimos anos. Ele é um ala-armador com grande leitura de jogo, domínio da bola e decisivo na conclusão das jogadas. Ele toma decisões nos momentos mais cruciais e é um grande pontuador. Sua eficácia prova isso. Sua habilidade física e atlética, seus movimentos em direção ao aro, suas mudanças de ritmo e a possibilidade de gerar seus próprios arremessos e para seus companheiros de equipe também o distinguem. Ele tem múltiplos recursos ao enfrentar os ataques, ele pode penetrar a partir do eixo ou dos cantos, puxar de média ou longa distância, ajudar ou quebrar as defesas de qualquer um de seus rivais. Embora a campanha anterior não fosse o Tucker que todos conhecemos principalmente de seu retorno tardio à equipe e lesões envolvidas, ninguém questionaria sua grande visão na quadra.

Brandon Robinson claramente se destacou em Quimsa nacional e internacionalmente. Seu ofício, sua maneira requintada de jogar a bola, sua hierarquia e seu desempenho em campo fazem dele diferente e uma referência em qualquer equipe que ele tem que ser. Ele foi o expoente máximo da equipe de Santiago del Estero na temporada que terminou há um mês e meio (média de 13,7 pontos). Grande parte da ofensiva de Quimsa pode passar por suas mãos e sua produção. Na metade da quadra, os armadores procuraram o passe e o jogo com ele para gerar suas quebras de arremesso a média e longa distância ou marcar a partir do jogo interno. Ele terminou dentro do quinteto ideal e como o segundo melhor estrangeiro da fase regular. Ele foi o responsável por levar o Quimsa à final da Liga depois de um trabalho superlativo contra o Boca nas semifinais. Robinson significa desequilíbrio, cada bola para ele é sinônimo de conversão. Ele é identificado por seu tiro de três pontos e muitas vezes os oponentes não podem contê-lo na zona de pintura. Jogador muito versátil. Letal ao correr em campo e marcar de qualquer setor. Ele sabe ler o jogo a ponto de sempre procurar a melhor opção. Ele também contribui na defesa e na luta de rebotes.

  • E qual foi o impacto que os dois tiveram dentro da Liga Argentina nos últimos anos quando defenderam o Quimsa e o San Lorenzo respectivamente?

Dar Tucker venceu três Ligas Nacionais 2017/18, 2018/19 e a recente 2020/21 com o San Lorenzo mais duas Ligas das Américas. Nos sete confrontos contra o Instituto de Córdoba em 2019, ele foi um fator fundamental na conquista do campeonato. Não foi à toa que ele foi eleito MVP das finais daquela competição. O jogador jordaniano nacionalizado americano terminou como MVP na segunda Liga das Américas que ele conseguiu com a equipe de Boedo. Naquele torneio, ele se mostrou contra equipes poderosas e competitivas mostrando hierarquia e determinação em cada uma das partidas que teve que jogar para levar o bicampeão contra Guaros de Lara. Ele foi o maior pontuador da final com 21 pontos e terminou como o artilheiro do San Lorenzo com uma média de 16,3.

Brandon Robinson se destacou na conquista da Fusion na Champions League Americas em 2020. O armador brilhou na grande final contra o Flamengo na Antel Arena para levar o time de Sebastian Gonzalez à coroa na primeira edição da BCLA. Ele foi o MVP e o maior pontuador do jogo com 26 pontos. Dentro da competição nacional, o jogador foi o melhor na final 4 do Super 20 que estava nas mãos de Quimsa. Ele terminou como MVP com 10 pontos, 4 rebotes e 4 assistências no último jogo contra San Martin. Ele já havia marcado 36 pontos contra o Obras Basket. Garra e coração para sempre enfrentar em momentos difíceis e na luta para alcançar um título. Dentro de uma equipe que tinha múltiplos recursos, que se distinguiu pela dinâmica, pelo jogo coletivo e por dominar a temporada, Brandon sabia como estar sempre à altura da tarefa.

Assine o GARRAFÃO RUBRO-NEGRO, a partir de 10 reais no Pic Pay ou no Apoia-se (https://apoia.se/garrafaorn). Receba conteúdos exclusivos sobre o basquete do Flamengo e concorra a uma camisa oficial e casual no final de cada temporada. Esse trabalho jornalístico independente que nasceu em 2011 conta com você, se torne assinante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.