Fatos em comum – as curiosidades das campanhas de Flamengo e São Paulo até a chegada a final do NBB

Uma temporada que os clubes tiveram que lidar com testagem frequente contra a Covid-19, atuar em sedes seja pelo NBB e pela Champions League Américas e o que mais preocupou os dois clubes que foi a contaminação dos jogadores com o coronavírus, com alguns deles tendo um sintoma mais moderado da doença. Flamengo e São Paulo superaram todas essas adversidades e tiveram méritos para chegar a grande decisão do NBB e nessa primeira matéria especial do Garrafão Rubro-Negro iremos destacar momentos curiosos da campanha dos dois times nessa temporada e o aprendizado que cada um deles acabou por favorecer.

Estadual – o momento de campanhas e pesos completamente distintos

No Rio de Janeiro, o Flamengo fez um verdadeiro passeio na competição e acabou utilizando os jogos para dar ritmo de jogo ao seu elenco para essa temporada que tinha acabado de receber novas peças importantes visando a disputa do NBB e da Champions League Américas. O título carioca veio sem nenhuma dificuldade no Maracanãzinho. Em São Paulo, o time tricolor encarou um Estadual mais equilibrado, mas não teve a mesma sorte do Flamengo e acabou vendo o Franca conquistar o titulo paulista em mais uma temporada. Naquela oportunidade, algumas criticas feitas ao São Paulo foram típicas de inicio da temporada e o time acabaria dando a resposta em quadra durante o NBB.

O golpe duro na derrota para o Quimsa na final da Champions League Américas

A retomada das Américas na sua primeira parte teve um episódio que machucou internamente o elenco do Flamengo. Elenco montado para ser campeão no jogo único no Uruguai, o time rubro-negro viu vários jogadores sentirem lesões musculares na véspera do jogo e não tiveram a oportunidade de dar o seu melhor dentro de quadra pelas limitações médicas. A derrota como ocorreu acabou servindo de aprendizado e estimulo para escrever um belo capitulo na história do clube com outro final logo a frente na temporada.

O desafio de lidar com as baixas no elenco em razão da contaminação da Covid-19

Flamengo e São Paulo foram as equipes dentro do NBB que mais sofreram com os casos confirmados de Covid-19 seja de jogadores e membros da comissão técnica. E isso afetou muito ao Flamengo em jogos no turno, principalmente quando enfrentou o próprio São Paulo e o Corinthians, o time não ter Marquinhos e Olivinha no seu bom momento técnico e físico, sempre vai proporcionar uma queda na sua intensidade coletiva em quadra. O São Paulo teve um momento do returno que sofreu o impacto forte da Covid-19 e o resultado disso foram algumas derrotas que colocaram a equipe tricolor na terceira posição na fase de classificação.

E para a felicidade dos amantes do basquete a expectativa é ter os dois elencos completos na medida do possível e sem casos de Covid-19 para a grande decisão do NBB. Vale lembrar que o argentino Franco Balbi será a única baixa do Flamengo e só retorna a equipe na próxima temporada.

A Copa Super 8 como um divisor de àguas para uma equipe e um aprendizado para a outra

O momento da realização da Copa Super 8 seria natural e não um absurdo apontar que o São Paulo poderia ter a chance de ganhar a competição ainda mais pelo modo que o Flamengo terminou o ano de 2020. Mas o time rubro-negro mais uma vez se fechou internamente, se uniu cada vez mais e mostrou que o potencial e a confiança depositada em cada jogador do plantel para essa temporada não foi à toa. O São Paulo fez uma final de Copa Super 8 praticamente perfeita até o final do terceiro quarto, já no último quarto o Flamengo mostrou todas as suas qualidades ofensivas e defensivas para confirmar uma vitória histórica pelo modo que ela foi construída.

A semifinal da Champions League Américas escancara as diferenças dos sistemas de jogo de Flamengo e São Paulo

O São Paulo tem muita virtude no seu jogo tático baseado em cima da individualidade e no jogo de um contra um. Desde da semifinal contra o Flamengo na Champions League Américas, o time tricolor demonstrou isso e teve três jogadores que tiveram destaques nesse tipo de sistema – Georginho, Lucas Mariano e Bennett. O Flamengo já era uma equipe em 2021 que demonstrou um sistema de jogo muito mais coletivo, com forte apelo ao jogo no perímetro, mas não ficando somente preso a ele, um sistema de jogo mais fluído. E isso se viu nesse confronto internacional aonde o garrafão e o perímetro machucaram a defesa tricolor como também o volume de rebotes acabou tendo um peso importante na definição de jogo.

Essas diferenças táticas só fortalecem o equilíbrio que poderemos ter na decisão do NBB e na sexta-feira, o Garrafão Rubro-Negro analisa os destaques individuais de cada equipe na campanha do NBB dessa temporada.

Final do NBB está DEFINIDA

Jogo 1 – dia 22 – São Paulo x Flamengo, às 16 horas

Jogo 2 – dia 24 – Flamengo x São Paulo

Jogo 3 – dia 27 – Flamengo x São Paulo

Jogo 4 – Dia 29 – São Paulo x Flamengo

Jogo 5 – dia 31- Flamengo x São Paulo

Todos os jogos no Maracanãzinho

Assine o GARRAFÃO RUBRO-NEGRO, a partir de 10 reais no Pic Pay ou no Apoia-se (https://apoia.se/garrafaorn). Receba conteúdos exclusivos sobre o basquete do Flamengo e concorra a uma camisa oficial e casual no final de cada temporada. Esse trabalho jornalístico independente que nasceu em 2011 conta com você, se torne assinante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.