Covid-19 volta a paralisar o NBB e fica o impasse quando teremos a sua continuidade


Quando a temporada do NBB teve seu início no ano passado se tinha a expectativa de ter um andamento bom dentro de quadra até a sua conclusão e tendo como base os protocolos aprovados entre os clubes e profissionais de saúde que foram consultados. Mas a variante da Covid-19 que apareceu em Manaus já era um sinal de que o pesadelo de novas paralisações no esporte no Brasil acabaria sendo questão de tempo como acabou se confirmando.


Primeiramente foi o Governo de São Paulo que tardiamente adotou medidas mais restritivas e proibindo a realização dos eventos esportivos em todo o Estado até o dia 4 de abril. E mais recentemente foi a prefeitura do Rio de Janeiro que foi obrigada a tomar medida semelhante para tentar diminuir a procura por leitos de enfermaria e de UTI voltados ao tratamento da Covid-19.


Diante dessa realidade e por ser realizado em sedes nessa temporada, o NBB não teve outra alternativa a não ser paralisar os seus jogos e analisar as possibilidades que tem para concluir o campeonato.


O Distrito Federal surge como uma alternativa de sede dos jogos caso o decreto do governador até o dia 29 de março não seja prorrogado. Campina Grande pode também ser analisada como uma possibilidade e vale destacar o papel de cooperação da Unifacisa nesse momento de pandemia, a Instituição de Ensino voltou a doar respiradores para os hospitais da região recentemente.

Diante da tendência de alta de internações e mortes em São Paulo e Rio de Janeiro fica difícil acreditar que o esporte voltará a ser realizado após a Páscoa. A previsão mais otimista dos médicos é o panorama ter uma queda a partir da terceira semana de abril, isso se a população colaborar com as medidas propostas por prefeitos e governadores.


O grande desafio da LNB é conseguir concluir o NBB em quadra nessa temporada. Um novo cancelamento seria péssimo para todos os envolvidos na competição?


Sim. Seria. Primeiramente levaria um debate interno de patrocinadores das equipes e da própria LNB que puderam presenciar o encerramento da Superliga e Liga Futsal dentro de quadra. O impacto ainda maior no salário dos jogadores que voltariam a ter seus contratos rescindidos e também uma possível nova redução salarial na próxima temporada. E vale uma destaque que os jogadores de basquete assim como a maioria da população brasileira não tem uma educação financeira a ponto de acumular grande reserva em caso de ficarem parados, principalmente no que se refere aos jogadores que não estão na faixa salarial mais alta do país.


Esses jogadores muitas das vezes são responsáveis não somente pela alimentação e sustento da sua própria família como também ajudar de fato os seus familiares. E precisariam readequar novamente a sua realidade perante o aumento de preços de vários serviços e produtos dentro do Brasil.


E a mídia envolvida no campeonato também sofreria um impacto em caso de novo cancelamento da competição. Como investir alto em filmagem dos jogos, logística de ida aos jogos e no final não se tem a oportunidade de uma visibilidade maior do seu veículo de comunicação?


Todas essas variáveis são complicadas e só demonstram o desafio que clubes e Liga terão pela frente. E o objetivo da LNB na nossa modesta opinião como veículo de comunicação deveria buscar concluir o NBB quando fosse oportuno nesse primeiro semestre de uma forma segura. Não é o momento de exaltar eficácia em protocolos e sim dar uma resposta a jogadores, arbitros e imprensa que precisam e necessitam da realização dos jogos para a sua própria sobrevivência. Auxílio emergencial proposto pelo governo não atende as demandas da famílias envolvidas com o esporte dentro ou fora de quadra. O momento seria necessário uma guinada de forças em prol do basquete brasileiro e concluir os torneios na iniciados nessa temporada. Ego e discordância sobre pontos de gestão de A ou B deveriam ser deixados de lado para serem debatidos em outra oportunidade.


O Flamengo aguarda nos próximos dias um posicionamento oficial da LNB quando será disputado seus jogos contra o Cerrado Basquete e o KTO/Caxias marcados para o início de abril.

Assine o GARRAFÃO RUBRO-NEGRO, a partir de 10 reais no Pic Pay ou no Apoia-se (https://apoia.se/garrafaorn). Receba conteúdos exclusivos sobre o basquete do Flamengo e concorra a uma camisa oficial e casual no final de cada temporada. Esse trabalho jornalístico independente que nasceu em 2011 conta com você, se torne assinante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.