GRN por dentro dos bastidores – FIBA (Champions League Américas)

O Flamengo vive a expectativa de saber quando será a decisão da primeira edição da Champions League Américas e quando terá o inicio sua segunda temporada. O Garrafão Rubro-Negro no último capitulo da série “GRN por dentro dos bastidores” apresenta uma entrevista especial com um membro da FIBA que traz novas informações sobre essa competição que é a mais importante das Américas

O Garrafão Rubro-Negro não irá nesse primeiro momento realizar qualquer crítica, seja positiva ou negativa, sobre o planejamento inicial feito por esses organizadores. Caberá aos jogadores, técnicos e fãs do basquete analisarem o que está sendo planejado agora. E nós, como veículo de comunicação, na véspera e nas primeiras semanas de cada torneio iremos analisar o que fato foi colocado em prática e a partir daí teremos um posicionamento mais crítico e fiel a realidade dos fatos.

FIBA – Champions League Américas

Carlos Alves – Diretor-executivo da FIBA Americas

Primeiramente como a FIBA avalia a primeira edição da Champions League Américas até o momento?

“ A Champions League Américas veio substituir a Liga das Américas, a competição mais importante das Américas, e tem como objetivo elevar o nível de competitividade entre os clubes nas Américas. A avaliação sem dúvida é positiva, sabemos que temos coisas a melhorar, queremos levar a competição do Canadá até a Argentina, queremos ter uma liga do Norte ao Sul. No momento não temos a presença de times do Canadá e dos Estados Unidos, mas temos o objetivo de contar com eles nas próximas edições. E eu diria que a Champions League Américas é um sucesso por dois fatores. Primeiramente pelo nível de competitividade, a Liga não tem jogo fácil, as equipes tem que jogar dentro e fora de casa e são jogos entre clubes campeões, e isso fortalece a competitividade do torneio.  E segundo destacaria a inclusão, a Champions não é uma Liga que conta apenas com os melhores times da Argentina e do Brasil, contamos com times que são campeões no México, Nicaragua, Uruguai, queremos ter uma competição inclusiva com todos os campeões nas Américas.”

Sobre a conclusão da primeira edição da Champions League Américas, qual cenário que a FIBA trabalha?

“Vivemos um momento impar, um cenário de pandemia, e quando a competição foi paralisada em março estávamos trabalhando no cenário da conclusão do torneio ser realizada entre setembro e outubro. Essa previsão não deve mais ocorrer. Trabalhamos no momento com o objetivo de concluir a competição entre novembro e dezembro.”

Existe a possibilidade da conclusão da Champions League Américas ocorrer somente em 2021?

“Nesse momento não. Mas tudo vai depender das condições sanitárias da Argentina e do Brasil. Como estará a liberação das fronteiras, será que o Flamengo conseguirá desembarcar na Argentina? Como será o deslocamento da Argentina até o Brasil? Teremos quantos jogos para se decidir o campeão? Todas as questões de logísticas serão avaliadas, se a competição será encerrada nesses países ou em outro local. Ou seja, existe essa possibilidade.”

A conclusão da Champions League Américas pode ocorrer no México ou no Uruguai?

“Não cogitamos em nenhum momento o México. Já o Uruguai sim. Conversamos com o governo local sobre o momento da pandemia no país e o Uruguai tem a vantagem da Liga Uruguaia já ter voltado e está colocando em pratica os protocolos para os jogos. O Uruguai é um exemplo na América do Sul no que se refere ao controle da pandemia. E claro que essa conclusão só será no Uruguai se o Flamengo, time de melhor campanha da Champions League Américas, concordar com esse cenário.”

Existe a possibilidade de ter público parcial na conclusão da Champions League Américas?

“Não tem como eu te dizer se sim ou que não. A Champions League na Europa terá o Final 8, na Grécia, e a questão do público presente no ginásio será definida em breve conforme os protocolos e medidas do governo local grego. O mesmo podemos dizer sobre a conclusão da Champions nas Américas, teremos que avaliar semanalmente o panorama da pandemia nos países e caso seja possível conforme os protocolos dos governos poderemos ter um público reduzido dentro dos ginásios.”

Quando é a previsão do inicio da segunda edição da Champions League Américas?

“No nosso cronograma inicial a segunda edição teria seu inicio em outubro. Agora não será mais nesse mês. Queremos concluir com toda a segurança a primeira edição da Champions League Américas. E a segunda edição da Champions League Américas deve começar na segunda semana de janeiro e terminar entre maio e junho de 2021. E será disputado no mesmo formato. Sobre os representantes brasileiros, o normal que seja os três primeiros colocados do NBB, mas como o Botafogo foi campeão da Liga Sul-Americana, seria o time do Botafogo e mais os dois primeiros colocados do NBB. Mas nesse momento não tenho como te afirmar de fato quais serão os representantes brasileiros na competição.”

Sobre a Copa Intercontinental de 2021, qual é a previsão da sua realização?

“Estudamos a sua realização em fevereiro de 2021 e contando com o campeão das Américas, Europa e outros times que ainda serão definidos. Não existe a definição do local da sua realização. Ela pode ser realizada na Ásia.”

ASSINE O GRN – o Garrafão Rubro-Negro precisa da sua assinatura no PIC PAY, a partir de 10 reais, para continuar existindo e dar continuidade ao seu trabalho jornalístico independente. E ajudando o Garrafão, um dos benefícios é você concorrer a uma camisa oficial e casual no final da temporada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.