Didi destaca sua experiência na Austrália e agradece o carinho dos rubro-negros nas redes sociais

Um dos maiores talentos do basquete brasileiro nos últimos anos, Didi, nunca escondeu sua admiração pelo Flamengo. Focado em deslanchar sua carreira internacional após ser draftado na NBA, o ala-armador vive seu aperfeiçoamento técnico e tático na Liga de Basquete da Austrália defendendo o Sidney Kings. O Garrafão Rubro-Negro realizou uma entrevista exclusiva com Didi que destacou sua experiência na Austrália, seleção brasileira, e claro, Flamengo.

Didi Louzada – ala-armador

Primeiramente, Didi, como tu descreveria sua primeira temporada no basquete da Austrália? Como foi sua recepção no clube e pelos companheiros de time do Sidney Kings?

“Foi uma experiência maravilhosa, muito importante para o meu crescimento, minha evolução como jogador. Fui muito bem recebido por todos, equipe, fãs, me senti muito à vontade em Sydney, que é uma cidade linda e organizada. Fiz amigos, fui feliz em Sydney nessa temporada em que joguei pelos Kings e o apoio e o carinho de todos foi fundamental.”

Você está atuando no basquete australiano para adquirir mais experiência internacional, o quanto você acredita que esse momento na Austrália acabará sendo importante quando você retornar para a NBA?

“Ganhei muito nessa passagem pela Austrália, pessoal e profissionalmente. Foi uma temporada de muitos aprendizados, da língua, do jogo, do convívio com atletas de outros países e da experiência internacional que eu adquiri. A liga é forte, de altíssimo nível, e isso ajudou muito na minha evolução como jogador.”

A Olimpiada de Tóquio foi adiada em virtude da pandemia da Covid-19 e você é um dos nomes certos da seleção brasileira na disputa pela vaga na competição. Qual a sua expectativa de voltar a defender a seleção brasileira em breve e como o técnico croata Petrovic vem te ajudando no amadurecimento do seu jogo dentro de quadra?

“Tenho muito orgulho em vestir a camisa da Seleção Brasileira, em representar o meu país, e espero ter a chance de disputar o Pré-Olímpico. Petrovic é um técnico muito inteligente, conhece do jogo e tem um diálogo aberto com todos os jogadores. Ele passa muita confiança e segurança para o grupo, está fazendo um excelente trabalho à frente da equipe e espero que a gente consiga fazer uma boa preparação para conseguir a vaga nos Jogos de Tóquio.”

Você sempre foi um jogador muito profissional e nas suas redes sociais nunca escondeu sua ligação com o futebol do Flamengo. No ano passado, com o ano mágico do futebol do clube, você vibrou em diversos momentos com as vitórias do time rubro-negro. Como foi pra você acompanhar as vitórias do Flamengo bem distante do Rio de Janeiro? E teria algum jogo marcante que você acompanhou do futebol que mais te marcou em 2019?

“Bom, como todos sabem, eu sou rubro-negro desde pequeno, praticamente minha família toda torce pelo Flamengo. Nunca escondi, é o meu time do coração, gosto de torcer, principalmente no futebol, e no ano passado tivemos muitas vitórias, conquistamos vários títulos em um espaço curto de tempo, em 48h, se não me engano… Então a equipe está de parabéns e um jogo marcante que acompanhei foi a final da Libertadores, que viramos nos minutos finais do segundo tempo. Esse foi um dos maiores jogos pra mim, que me marcou muito.”

A cada reforço do basquete do Flamengo nessa temporada você usou seu Instagram para desejar boa sorte a eles no clube. E a nação rubro-negra brincou com você pedindo que você viesse também para o clube. Como você recebe esse carinho por parte do torcedor rubro-negro? E passa na sua cabeça em algum momento atuar ou encerrar a sua carreira com a camisa do Flamengo?

“Fico feliz e agradeço o carinho que todos sempre mostram por mim. Tenho muitos amigos no Flamengo, companheiros de Seleção Brasileira, e torço pelo sucesso deles, assim como dos outros amigos que estão jogando no basquete brasileiro. Temos uma liga forte, de alto nível, e isso é importante para a nossa modalidade. Passa, sim, pela minha cabeça um dia jogar pelo Flamengo. Hoje estou focado em chegar à NBA, é o meu objetivo nesse momento, estou trabalhando muito para isso. Mas, quem sabe, um dia eu não vista a camisa rubro-negra…”

O Garrafão Rubro-Negro precisa da sua assinatura no PIC PAY, a partir de 10 reais, para continuar existindo e dar continuidade ao seu trabalho jornalístico independente. E ajudando o Garrafão, um dos benefícios é você concorrer a uma camisa oficial e casual no final da temporada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.