Gustavo De Conti e Marquinhos explicam a derrota rubro-negra para Franca na final da Copa Super 8 e projetam o duelo contra o Fuerza Régia pela Champions League

Derrotas como para Franca da Final do Super 8 acabam por deixar um sentimento de frustração tanto para jogadores, comissão técnica e torcida. O blog Garrafão Rubro-Negro conversou com o ala Marquinhos e o técnico Gustavo De Conti sobre esse revés em casa na decisão contra Franca na Arena Carioca 1 e a projeção para o próximo desafio do Flamengo na Champions League Américas.

Marquinhos – ala

A análise da derrota para Franca na final do Super 8

“Na verdade, a gente caiu muito de aproveitamento no último quarto, normalmente a gente não faz somente 10 pontos e a equipe de Franca fez o dobro de pontos.  E tiveram algumas faltas que são difíceis de entender. De um lado é marcado, do outro não é.  Tiveram vários lances livres a mais para a equipe adversária, bastava encostar um pouco no adversário e a faltara era marcada e para a nossa equipe nada.  Quem entende de basquete é difícil ver essas coisas.  Eu fico triste pois de fato o nosso último quarto poderia ser diferente. Mas bola pra frente, primeira final que a gente perde esse ano e a gente tentou lutar até o final, mas não deu no último quarto.”

O sentimento que fica desse resultado negativo diante de Franca

“ O Flamengo não está acostumado a perder e fica um gosto bem amargo. Mas a gente tem que saber perder, isso é do jogo. Nem sempre você ganha e não ganhamos essa final.  E eu fico mais ressentido de como foi a partida. Você atuar em casa e o adversário chutar praticamente o dobro de lances livres fica difícil de digerir isso. E isso pode acabar por decidir a partida. Tiveram algumas chamadas de faltas que também eu não achei. Mas isso é basquete. Parabéns a equipe de Franca, eles vieram aqui, jogaram muita bola e parabéns pra eles.”

O jogo contra o Fuerza Regia pela Champions League Américas

“A gente vem numa sequência muito dura. É difícil a gente pegar o Corinthians, tivemos um primeiro quarto ruim, contra o Pinheiros, tivemos o último quarto, e contra Franca foi o último quarto, precisamos encontrar esse equilíbrio e a gente não tem ainda esse equilíbrio e isso às vezes acaba nos custando caro para a gente. Agora é buscar descansar o máximo, teremos uma viagem dura para o México e o torcedor pode ter a certeza que a Champions League é o nosso principal objetivo na temporada. Temos que descansar bem a cabeça, esquecer o nosso revés contra Franca e é bola pra frente.”

Gustavo De Conti – treinador

A análise da derrota para Franca na final do Super 8

“É uma derrota dura, duríssima. Estávamos 12 jogos invictos e perdemos esse jogo que não poderíamos perder que era essa decisão. Não estávamos acostumados a perder decisão e essa é a primeira desde que eu cheguei ao clube. Ela dói bastante pela forma que foi também. No segundo tempo a gente não soube fazer a leitura da melhor forma e saber de fato o que estava acontecendo em quadra.  Infelizmente as coisas não deram certo.”

O fator de ter sustos nos últimos quartos nos últimos jogos contra o Pinheiros, acabou com a vitória, e contra Franca, a derrota – essa oscilação de “fechar” os jogos

“A gente senão soubesse fechar os jogos a gente não teria a quantidade de vitórias e derrotas que a gente tem. A gente tem três derrotas até o momento na temporada contando Carioca, NBB e Champions League. Contando com o Super 8 essa foi a nossa quarta derrota. E tivemos vários jogos que ganhamos no final como o jogo contra a Unifacisa e também os jogos contra o Pinheiros. A gente está sabendo fechar os jogos, mas contra o Franca nessa final realmente foi um problema, a gente perdeu duas bolas na saída de bola antes de passar do meio da quadra. A gente teve a possibilidade de bons arremessos, o Deryk teve duas oportunidades, ele é um bom chutador, Marquinhos chutou a outra, não caíram, aconteceu a derrota. Infelizmente a vitória e o título não vieram para o Flamengo.”

O jogo contra o Fuerza Regia pela Champions League Américas

“O nosso time não sentirá falta de confiança para essa partida. Temos jogadores bastante experientes.  E sabemos lidar com esses momentos ruins, derrotas como essa contra Franca nunca é boa, mas temos que analisar o que podemos tirar de positivo dela. Quando a gente perde sempre fica algo em ênfase, o que a gente errou e iremos analisar tudo para a sequencia da temporada, pois a temporada continua para nós. E teremos dois campeonatos superimportantes que são a Champions League Américas e o NBB.”

Seja assinante do Garrafão Rubro-Negro , ajude a manter o projeto, concorra a ingressos para os jogos do Flamengo no Rio de Janeiro e uma camisa oficial no final da temporada:

https://www.catarse.me/garrafao_rubro_negro