Perfis – Gabriel Jaú – Temporada 2022/2023

Rejuvenescer o elenco que foi segundo colocado do último NBB. Essa é um dos principais objetivos da montagem do novo plante do Flamengo para a próxima temporada. O Garrafão Rubro-Negro começa a apresentar esse elenco através da série “Perfis” com uma abordagem que contará com análise de vários jornalistas convidados para falar sobre os reforços que estão chegando e teremos também uma análise dos jogadores que permaneceram e saíram do clube.

Na estreia da série, o Garrafão Rubro-Negro apresenta uma análise sobre o ala-pivô Gabriel Jaú, de 24 anos. Ele foi um dos destaques do Bauru Basket na última temporada com bons números tanto no Campeonato Paulista e no NBB.

Ficha técnica

Nome:  Gabriel Crepaldi Volpato Galvanini

Idade – 24 anos

Posição – ala pivô

Altura – 2,02

Números no último NBB – média – 16,1 pontos, 7,5 rebotes e 1,8 assistências

O Garrafão Rubro-negro convidou dois jornalistas bauruenses – Lucas Guanaes e Bruno Ribeiro – que acompanharam muito de perto a trajetória de Gabriel Jaú para dar uma análise mais fiel sobre o que o torcedor do Flamengo pode aguardar do seu novo ala-pivô em quadra.

Análise

Lucas Guanaes

Primeiramente como você descreveria o potencial de Gabriel Jaú como jogador dentro do cenário do basquete brasileiro e que retrospecto mais recente você poderia falar sobre ele?

Gabriel Jaú é um dos atletas mais interessantes em ação no basquete brasileiro nesta década. Tanto pelo que já apresenta em quadra, quando pelo jogador que ainda pode se tornar.

As duras lesões no joelho o deixaram fora de uma temporada e meia em 2018 e 2019. As chances de uma explosão internacional terminaram naquele momento, mas o desenvolvimento dentro do NBB aconteceu. Tanto que merecidamente já figurou em algumas convocações da seleção brasileira principal.

No alto de seus 2,02m, Jaú é um dos, se não o mais atleta mais versátil com mais de dois metros de altura que temos por aqui. Ofensivamente, consegue atacar seus adversários em diferentes situações, tanto de frente para a cesta, abusando da explosão física, quanto de costas para ela, com bom trabalho de pés. Passa longe de ser um pivô que depende exclusivamente do pick’n roll ou pick’n pop para causar impacto enquanto ataca. Isso o torna muito difícil de ser parado, ao ponto de ser o quinto atleta com mais lances livres cobrados no último NBB.

O técnico Gustavo De Conti é um dos treinadores que mais valoriza os chutes de três pontos, ou seja, do perímetro, você diria que esse é um ponto forte do jogo técnico do Gabriel Jaú?

O chute do perímetro é outra arma em seu arsenal. Embora irregular ao longo dos últimos anos nessa área, ao ponto de algumas equipes pagarem para ver seu chute, Jaú tem aumentado o repertório. Se antes era mais dependente do catch and shoot para pontuar de longe, agora Jaú também consegue um desempenho considerável nos chutes após os dribles, podendo criar seu próprio arremesso. Aprimorando um pouco os quase 32% de aproveitamento que teve no último ano, será um nome ainda mais difícil de marcar.

Qual a sua expectativa que você tem sobre o Gabriel Jaú dentro do Flamengo e como tu vê o processo de adaptação dele agora com o comando do Gustavo De Conti?

Fico curioso a respeito do posicionamento de Jaú no Flamengo a partir da próxima temporada. Jaú fez a transição para o basquete profissional como ala/pivô, sendo importantíssimo na conquista do NBB 2016/17, principalmente nas quartas de final contra Brasília, diante de Giovannoni e Lucas Mariano.

Considerando a estratégia de Gustavinho nas últimas temporadas de colocar um atleta mais alto para marcar os alas adversários, primeiro com Léo Demétrio e depois com Rafael Mineiro, é praticamente impossível não imaginar Jaú sendo testado nesta função no Flamengo. Se vai dar certo ou não, é outra história, mas poderemos ver coisas interessantes por ali.

De maneira geral, é um atleta que tem tudo para cair nas graças da torcida do mais muerido. Entrega não falta. Bom pontuador, bom reboteiro, com qualidades técnica e física notáveis e ainda com espaço para crescer, principalmente a partir do amadurecimento em quadra. Não diria que Gustavinho tem um diamante bruto em mãos, mas uma peça em fase final de lapidação, com aquela aparência levemente disforme, que já faz muito bonito, mas que muito em breve poderá se tornar uma joia.

Bruno Ribeiro

Como você analisa a última temporada do Gabriel Jaú no Bauru Basket? E podemos dizer que o Flamengo contratou um dos ídolos recentes da história do clube paulista?

Podemos dizer que Gabriel Jaú é um dos grandes ídolos da torcida do Bauru Basket. Além do título do NBB, o ala-pivô também ostenta a marca de 9º maior pontuador da história da equipe, com direito ao troféu de Destaque Jovem do NBB 10.

Em termos técnicos, Jaú possui algumas qualidades que chamam a atenção. Uma delas é o bom controle de bola quando comparado aos outros alas-pivôs do Brasil. Não à toa, durante um momento em sua carreira, cogitou-se até utilizá-lo na posição 3, como um ala mais alto. Contudo, as duas graves lesões que sofreu no joelho fizeram com que essa transição nunca acontece.

Mas, fato é que Jaú voltou e se consolidou como um dos grandes jogadores da posição 4 – muito embora também possa ser uma opção de pivô para momentos em que o time pretende ser mais rápido e espaçar a quadra. O atleta também tem se mostrado um chutador cada vez mais confiável e continua evoluindo seu jogo de costas para a cesta. Na última temporada, teve suas melhores médias da carreira em todos os fundamentos (16.1 pontos, 5.7 rebotes, 1.8 assistências e 31.8% de aproveitamento da linha de 3).

Torcedor do Flamengo sempre gostou de ter jogadores que demonstrem aquela raça, ou seja, intensidade, de quadra. Como você descreveria o estilo de jogo de Gabriel Jaú e como é a sua expectativa de ver ele agora em ação em outro clube no próximo NBB?

Se o jogo do camisa 25 tivesse que ser definido em uma palavra, a mais apropriada seria INTENSIDADE. Quando surgiu no Bauru Basket, ele tinha fama de tirar os jogadores mais velhos da zona de conforto durante os treinamentos. Em jogos pegados, também sabe utilizar muito bem o contato adversário para agredir a cesta e ainda cavar a falta. O único ponto de atenção, porém, é quando essa mesma intensidade acaba ultrapassando dos limites na parte defensiva. Apesar dos bons números citados acima, foram 8 vezes em que Jaú foi eliminado com 5 faltas na temporada passada.

Se toda essa energia for canalizada da maneira correta, Jaú tem tudo para, em breve, figurar na primeira prateleira de jogadores da Liga. E, ao lado de Olivinha e sob o comandado de Gustavinho, certamente poderá ajudar o Flamengo na retomada da hierarquia do basquete nacional.

ELENCO DO FLAMENGO – Temporada 2022/2023

Reforços até o momento – Gabriel Jaú e Gui Deodato

Permanecem no clube –  Olivinha, Rafael Rachel, Yago e Gustavo De Conti

Saidas – Brandon Robinson

Em breve mais novidades sobre mais jogadores que irão fazer parte do plantel e na próxima semana teremos o segundo capitulo da série PERFIS.

O Garrafão Rubro-negro precisa da sua assinatura para continuarmos a nossa cobertura do orgulho da nação. Faça sua assinatura a partir de 10 reais por mês. Conteúdos exclusivos e sorteio de camisas oficiais, casuais e par de ingressos durante a temporada.
Apoia-se – apoia.se/garrafaorn
Pic Pay – @GarrafaoRN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.