2021 – 34 vitórias e 0 derrotas – O assombroso retrospecto do Flamengo em quadra

Uma temporada cercada de desafios tanto emocionais, técnicos e táticos que foram colocados a prova não somente ao técnico Gustavo De Conti, como toda a comissão técnica e também o grupo de jogadores. E o que eles deram como resposta acabou virando história na forma mais positiva possível para a alegria da nação. O Garrafão Rubro-Negra faz um balanço do que foram as 34 vitórias do Flamengo sem derrotas em 2021 e quais foram os desafios que o time teve que encarar desde janeiro.

A força emocional sendo colocada a prova em toda a temporada e sendo testada no primeiro semestre de 2021

Quando o Flamengo iniciou a temporada, o clube já tinha a noção que teria que lidar com a pandemia da Covid-19 junto com a realização dos jogos e teve que muito bem como um todo preparar o seu emocional do que viria pela frente. Iremos pontuar alguns pontos que valorizam ainda mais o que o Flamengo fez dentro de quadra com as 34 vitórias e nenhuma derrota.

– Casos de jogadores contaminados pela Covid-19 e a equipe tendo que lidar com as baixas, se readaptar sua forma de jogar para suprir essas ausências e manter o foco nos objetivos traçados.

– O risco de apostar num jogador estrangeiro que nunca tinha atuado no Brasil, o Luke Martinez, e ter a excelente resposta positiva que ele deu em quadra. O risco acabou virando um grande acerto.

–  A questão de jogar em sedes fixas os torneios, jogadores presos em hotéis por um bom período de dias, sendo colocados em xeque o seu grau emocional e também a convivência entre o próprio elenco. Ao Flamengo isso foi um grande teste, mas não teve um aspecto negativo, pelo contrário, o grupo se fechou ainda mais e se uniu em prol do coletivo.

– A lesão grave de Franco Balbi e a lesão de Olivinha na fase final da Champions League Américas. Qualquer equipe competitiva no mundo poderia sofrer o baque de baixas como essa na temporada, mas novamente o time mostrou um caráter de equipe com DNA vencedor. Jogadores que tinham um rendimento pequeno, começaram a evoluir e chamar o protagonismo pra si. Um exemplo disso foi a evolução e a personalidade de Yago Mateus em momentos cruciais da Champions League Américas e do NBB.

A grande campanha vitoriosa em 2021

Copa Super 8 –  a conquista que acabou por virar a chave e dar a confiança necessária que o elenco rubro-negro precisava

Quando o Flamengo chegou para a disputa da Copa Super 8 em janeiro, muitos torcedores e especialistas acabaram colocando certa desconfiança no que o time poderia apresentar no torneio de tiro curto. Muito pela possibilidade de enfrentar o São Paulo numa possível final e o retrospecto recente contra a equipe tricolor não ser favorável. O Flamengo falou pouco, trabalhou forte internamente e em quadra acabou por derrotar Franca e Bauru nas primeiras etapas da competição. E chegaria o grande confronto contra o São Paulo.

A equipe teve uma atuação desastrosa defensivamente até o terceiro quarto, mas mostrou no último quarto que sim era uma equipe que a nação rubro-negra poderia se orgulhar em quadra e poderia construir grandes resultados em competições futuras. Uma vitória e um titulo que ficaram marcados pela forma que o time atuou no último quarto e uma frieza absurda de Franco Balbi para decidir a favor da equipe nos segundos finais.

Champions League Américas – o susto com a grave lesão de Franco Balbi e a crescida de produção de todo o elenco

O Flamengo começou a competição internacional jogando em casa e teve de cara uma vitória contra o Minas. A partida que seria realizada contra o Instituto de Córdoba acabou sendo cancelada por surto de Covid-19 nos jogadores do time argentino. E nas fases seguintes o time rubro-negro voltou a enfrentar os mesmos times agora em Belo Horizonte e em Córdoba, na Argentina. A etapa em Belo Horizonte acabou sendo um marco para o que o Flamengo teria que se superar como time e elenco no restante da temporada. Franco Balbi sofreu uma grave lesão no jogo contra o Minas e viu sua temporada terminar de forma precoce. O Flamengo teve que demonstrar que tinha um emocional muito grande para não se abater e perder jogos que poderiam culminar na sua eliminação na fase de classificação da competição.

E essa força emocional pode ser colocada a prova já no jogo contra o próprio Minas e o Instituto em Belo Horizonte, o time focou no seu coletivo e contou com grande participação dos jogadores experientes, um ótimo trabalho defensivo de Rafael Mineiro e a eficiência de Luke Martinez para vencer os dois jogos.

A fase final na Nicarágua o emocional do time foi colocado novamente a prova. O time não contaria com Chuzito Gonzalez e nem Olivinha para as partidas decisivas. Mas teria a estreia do reforço pontual do armador argentino Diego Figueredo. O Flamengo soube se impor diante do Caballos de Cocle, do Panamá, e contra o São Paulo. Um coletivo muito forte dentro nos dois lados da quadra e com a boa participação do reforço pontual nesses jogos. Na fina contra o Real Esteli, time da casa, coube ao armador Yago chamar a responsabilidade no último quarto e decidir a favor do time rubro-negro que se sagrou campeão da competição.

Returno e playoff do NBB – Intensidade no jogo coletiva e experiencia na definição castigaram os adversários

Algumas equipes no returno do NBB bem que conseguiram fazer um jogo equilibrado contra o Flamengo até o final do primeiro tempo, mas a partir do terceiro quarto acabou prevalecendo uma característica que foi o ponto forte da equipe rubro-negra na temporada – a intensidade. Com ela imposta em quadra, o time teve o mérito de construir vitórias tranquilas contra adversários tradicionais e passou a fazer ainda mais história dentro da temporada. Quando chegou a fase de playoff da competição, o time encarou duas equipes tradicionais que foram Mogi e Paulistano e o que se viu durante o returno acabou se repetindo.

Mogi e Paulistano conseguiram fazer um bom jogo durante o primeiro e o segundo quarto dos jogos, mas quando o Flamengo começou a empregar uma intensidade maior em quadra seja na defesa ou no ataque, acabou não tendo mais um jogo equilibrado, e o time rubro-negro confirmava todo o seu favoritismo que a ele foi dado na competição.

Na final do NBB, o São Paulo se mostrou um adversário que saberia muito bem valorizar a conquista rubro-negra em quadra, o time tricolor vendeu muito caro toda as derrotas nos jogos em toda a série, o Flamengo acabou fazendo a varrida por 3 a 0, muito pelo excelente momento de Yago Mateus e a personalidade e experiência de Marquinhos, Olivinha e Rafael Hettsheimeir em momentos que o jogo se mostrava apertado.

Uma conquista memorável do NBB….

Por enquanto, o ano de 2021 está com esse retrospecto:

34 jogos

34 vitórias

3 vitórias na Copa Super 8

8 vitórias pela Champions League Américas

23 vitórias pelo NBB

Esse atual recorde do Flamengo iguala o feito de Bauru na temporada 2014/2015. Mas naquela oportunidade, o Bauru não venceu o NBB.

Assine o GARRAFÃO RUBRO-NEGRO, a partir de 10 reais no Pic Pay ou no Apoia-se (https://apoia.se/garrafaorn). Receba conteúdos exclusivos sobre o basquete do Flamengo e concorra a uma camisa oficial e casual no final de cada temporada. Esse trabalho jornalístico independente que nasceu em 2011 conta com você, se torne assinante!

Um comentário sobre “2021 – 34 vitórias e 0 derrotas – O assombroso retrospecto do Flamengo em quadra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.