GRN por dentro dos bastidores – LNB (NBB)

O lema do Flamengo é sempre buscar todos os títulos das competições que vier a disputar na temporada. E na atual não seria diferente. Mas como está sendo feito o planejamento dos organizadores desses torneios para a realização dos jogos diante desse cenário ainda de pandemia e a necessidade de seguir protocolos de segurança. A série “GRN por dentro dos bastidores” irá apresentar o planejamento inicial da LNB, FBERJ e FIBA para o NBB, Campeonato Estadual e Champions League Américas.

O Garrafão Rubro-Negro não irá nesse primeiro momento realizar qualquer critica, seja positiva ou negativa, sobre o planejamento inicial feito por esses organizadores. Caberá aos jogadores, técnicos e fãs do basquete analisarem o que está sendo planejado agora. E nós, como veículo de comunicação, na véspera e nas primeiras semanas de cada torneio iremos analisar o que fato foi colocado em prática e a partir daí teremos um posicionamento mais crítico e fiel a realidade dos fatos.

Na estreia da série abrimos espaço para a LNB falar sobre o planejamento inicial do NBB dessa temporada, que será diferente, em razão da continuidade ainda da Covid-19.

LNB – NBB

Paulo Bassul – diretor técnico da LNB

Para a LNB qual foi o maior desafio na elaboração dos protocolos contra a Covi-19 ainda no período que o campeonato esteve suspenso? E o que o retorno da Liga ACB e NBA, com seus protocolos próprios, acabaram por ajudar a LNB a atualizar ou ajustar o protocolo antes elaborado?

O retorno dessas outras ligas nos ajuda oferecendo feedbacks sobre alguns procedimentos adotados, mas é claro que teremos que adequar diversas questões às características do nosso país e também do NBB. Organizamos uma reunião com médicos de todas as equipes do NBB e a Doutora Pilar, que participou da elaboração do protocolo utilizado com êxito pela ACB. A troca de informações foi muito positiva e pretendemos organizar outros encontros com especialistas que possam incrementar e qualificar ainda mais nosso protocolo.”

É de conhecimento de todos que todo o ginásio do NBB tem suas características de estruturas próprias. Qual é a recomendação que a LNB promete recomendar aos clubes para que seus ginásios possam receber seus jogos na competição? A LNB pretende tentar fechar alguma parceria que viabilize para os clubes um túnel de desinfecção em cada ginásio nesse momento ainda de pandemia?

“Todos os assuntos acima ainda estão em fase de discussão pelo grupo multidisciplinar e constarão no protocolo que está sendo elaborado, mas só poderemos responder de forma definitiva quando esse processo estiver finalizado.”

Nesse momento de pandemia, a testagem é a melhor forma de prevenção.  A LNB irá sugerir algum laboratório especifico como fez a CBF no retorno do futebol ou a responsabilidade sobre a escolha do laboratório e o resultado dos testes ficará a critério de escolha somente dos clubes?

“Todos os assuntos acima ainda estão em fase de discussão pelo grupo multidisciplinar e constarão no protocolo que está sendo elaborado, mas só poderemos responder de forma definitiva quando esse processo estiver finalizado.”

Ainda nessa questão da testagem. O futebol brasileiro retornou e com alguns jogos sendo adiados em razão da alta quantidade de jogadores que foram testados positivos por Covid-19. A LNB acredita que existe uma chance real de adiamento dos jogos caso se confirme um cenário semelhante ao que ocorreu com o futebol? Ou dependendo da quantidade de contaminados conforme testes prévios, o jogo será realizado normalmente?

“Todos os assuntos acima ainda estão em fase de discussão pelo grupo multidisciplinar e constarão no protocolo que está sendo elaborado, mas só poderemos responder de forma definitiva quando esse processo estiver finalizado.”

Até dezembro é provável que não tenhamos uma vacina ainda disponível para a Covid-19, a LNB levará isso em conta na elaboração da tabela da competição visando uma circulação menor dos times por meios terrestres e aéreos?

“Acompanharemos de perto a evolução da doença e tomaremos esse tipo de decisão no momento adequado e sempre seguindo as orientações dos órgãos de saúde, o protocolo elaborado e também as decisões do colegiado dos clubes da liga.”

Sobre o formato da competição, a La Liga, da Argentina, é uma parceira da LNB, e recentemente o seu presidente, Gerardo Montenegro, defendeu a possibilidade do campeonato ser realizado numa “bolha” na qual a cada final de semana, duas cidades argentinas receberiam os jogos do campeonato e evitando com isso viagens e a possibilidade de contágio. A LNB acredita que tem chances do campeonato no Brasil ter fórmula semelhante na Argentina ou a tendência é a mesma formula dos anos anteriores com turno, returno e playoff?

“A resposta vai na mesma linha da pergunta anterior e o formato com “mini bolhas” é apenas uma das opções em estudo, mas ainda estamos em fase de discussão e temos uma gama enorme de variáveis a considerar para que os clubes consigam tomar uma decisão definitiva – normativas dos órgãos de saúde, quantidade de equipes inscritas, custos envolvidos, calendário/competições internacionais, contratos com parceiros de mídia, entre outras.”

Para encerrar, o público é alma do esporte e proporciona a atmosfera no ginásio. Protocolos de flexibilização tanto do governo do Estado de São Paulo e do Rio de Janeiro tem como previsão de liberação parcial de público nos eventos esportivos a partir de outubro respectivamente.  A LNB irá aceitar o estudo feito pelos conselhos científicos e médicos de governos municipais ou estaduais no que se refere a público presente dentro do ginásio ou a LNB já tem a convicção que o público só retornará no NBB mediante de uma vacina?

“Tudo na liga é definido pelo colegiado de clubes, que é o Conselho de Administração e está muito claro que a saúde hoje é uma prioridade para nós e a liga respeitará todas as normativas definidas pelos órgãos de saúde. Ocorre que temos um país com dimensões continentais e estágios diferenciados da doença e chegará um momento que o Conselho precisará debater se adotaremos portões fechados em todos os nossos jogos até que essa liberação por parte dos órgãos de saúde ocorra em todas as praças ou se essa liberação será praça a praça conforme vão sendo liberadas. Essa, como sempre, deverá ser uma decisão democrática após o Conselho de Administração analisar todos os prós e contras das duas opções.”

Guilherme Buso – diretor de comunicação da LNB

Como a LNB pretende estabelecer o protocolo de trabalho das imprensas tradicionais e independentes dentro dos jogos nos ginásios nesse momento ainda de pandemia?  A CBF vem exigindo testes de PCR a imprensa aos jornalistas e eles têm acesso a coletiva de imprensa respeitando uma distância máxima segundo o protocolo de segurança, podendo fazer perguntas diretas, essa pode ser a principal alternativa a ser sugerida aos clubes pela LNB?

“Os protocolos de imprensa seguirão as diretrizes adotadas para o campeonato, como um todo. Então é um pouco difícil cravar o que realmente vamos fazer nesse momento. Ainda estamos numa fase de discussão através do grupo multidisciplinar, que foi criado pela Liga e que engloba os médicos de todos os clubes mais os representantes dos técnicos, atletas, fisioterapeutas e preparadores físicos e o corpo executivo da Liga. A partir desses encontros periódicos e as análises das experiências que estão sendo realizadas no mundo esportivo, vamos elaborar o nosso próprio protocolo e poderemos responder de forma definitiva quando esse processo estiver finalizado.”

Sobre o que ocorreu na Liga ACB e NBA, as coletivas terem sido online e sem a presença física de jornalísticas no ambiente. Com o cenário tão instável da internet móvel no Brasil principalmente em alguns ginásios que abrigam os jogos do NBB isso pode ser uma medida que talvez não tenha o resultado positivo como essas outras ligas citadas? E caso a videoconferência seja usada e falhe por problemas técnicos como sinal da internet e áudio ruim, como a LNB estuda agir nessas ocasiões a fim de dar uma maior segurança tanto ao trabalho das assessorias como dos jornalistas para não perdem uma declaração factual?

“Eu acredito que o case da Liga ACB e da NBA são muito felizes e temos que estar atentos e entender ao máximo o que eles estão fazendo. Tanto que realizamos na semana passada duas apresentações aos clubes com profissionais espanhóis que estiveram ativamente coordenando a fase final da Liga Endesa (médica da Federação Espanhola e o diretor de comunicação da ACB). No caso específico de comunicação e como realizar as videoconferências pós-jogo, acredito que a ideia das coletivas virtuais fazem bastante sentido, considerando que já realizamos a grande maioria das transmissões dos jogos via streaming e poderíamos, de repente, utilizar a mesma estrutura para isso. É uma ideia que me agrada muito nesse momento.”

O Garrafão Rubro-Negro precisa da sua assinatura no PIC PAY, a partir de 10 reais, para continuar existindo e dar continuidade ao seu trabalho jornalístico independente. E ajudando o Garrafão, um dos benefícios é você concorrer a uma camisa oficial e casual no final da temporada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.